Skip to content
Anúncios

Cinco factos bizarros sobre a Disney

Disney Bizarro II

Por muito fãs que nós sejamos da Disney, temos que admitir que nem tudo o que por lá se passa está rodeado de magia como os seus filmes! Na realidade, existem alguns factos bizarros ao longo da história da empresa que achamos que seriam interessantes de partilhar contigo hoje.

1 – Walt Disney e o FBI

Não podíamos começar esta lista de factos sem dedicar o primeiro ponto da mesma ao fundador da empresa. Quando pensamos em Walt Disney, pensamos em fantasia, em inovação, criatividade mas, além de tudo isto, a verdade é que o fundador da Disney foi um informador do FBI. Durante a Guerra Fria, ao mesmo tempo que criava um dos maiores impérios do mundo com as suas animações, fundou uma empresa cinematográfica em defesa dos ideais americanos contra os comunistas na indústria. Da mesma forma que passava informação ao FBI sobre comunistas, também era frequente o FBI analisar os filmes de Disney de forma a garantir que eram do seu agrado.

2 – Mortes na Disneyland

Apesar de toda a magia que rodeia os parques da Disney, a verdade é que já existiram várias mortes nas atracções da Disneyland. Falando da montanha russa conhecida como The Matterhorn no parque Disney da Califórnia em particular, podemos contabilizar duas mortes desde a sua inauguração: em 1964, um rapaz de 15 anos levantou-se da sua cadeira, sendo projectado de cabeça contra os carris, acabando por partir o crânio; 20 anos mais tarde, em 1984, uma pessoa de 48 anos não apertou o seu cinto de segurança e acabou com o seu corpo espremido debaixo da carruagem.

3 – As hienas não são más!

Por muito bizarro que te possa parecer, a verdade é que a Disney foi levada a tribunal por ter representado as hienas como sendo vilãs nos filmes do Rei Leão! Porquê? Porque alguns biólogos sentiram que essa representação das hienas estava incorrecta e que havia criado estereótipos negativos sobre as mesmas em todas as pessoas que assistiram ao filme.

4 – Racismo

Além da perseguição aos comunistas que falamos no primeiro ponto, a verdade é que o racismo também foi, durante muito tempo, algo presente em diversos filmes da Disney. Um exemplo disso acontece no filme Fantasia que, na sua versão original, continha um centauro com características africanas que ficava sempre chateado se os restantes centauros não fossem penteados na perfeição por serem de um estatuto superior. Desde 1969 que esta personagem foi removida do filme devido aos contornos racistas que a rodeavam.

5 – As dúvidas sobre a animação computorizada

Apesar de quase todos os filmes que vemos hoje da Disney serem feitos em computador, a verdade é que a Disney inicialmente duvidava da viabilidade desta ideia. A maior prova dessa dúvida foi o despedimento de John Lasseter no início da sua carreira por ser um grande defensor do uso de computador para fazer longas metragens. Isto levou a que John fosse contratado pela Lucasfilm, empresa que foi comprada por Steve Jobs e que levou a que John fosse um dos membros a construir a Pixar que hoje em dia conhecemos. Actualmente, John Lasseter é o Director Criativo da Pixar, da Walt Disney Animation Studios e da DisneyToon Studios, acabando por ver a empresa onde começou a carreira a lhe dar razão sobre a animação em computadores.

Gostaste do que leste? Então passa pelas nossas páginas de Facebook e Twitter! Seguir-nos nestas duas redes sociais é a forma mais simples de garantires que o Cultura de Algibeira está sempre no teu bolso e que não perdes pitada dos próximos artigos!

Anúncios

1 Comentário »

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: