Saltar para o conteúdo
Anúncios

Seis contos típicos de Natal

Seis contos típicos de Natal - Cultura de Algibeira, Algibeira, Bolso, Cultura

Nós adoramos esta época festiva do ano e tudo o que a rodeia! E, estando o Natal cada vez mais próximo, nós não podíamos deixar de olhar aos contos que embelezam esta época festiva. Que contos é que recordas da tua infância? Será que algum deles está na lista de hoje? E que outros contos acrescentarias a esta lista?

1 – A Christmas Carol

Com autoria de Charles Dickens em 1843, A Christmas Carol deverá ser mesmo um dos contos de Natal mais conhecidos em todo o planeta! Dando origem a posteriores adaptações da Disney, este livro conta a história de um homem avarento que não gostava nada do Natal e que foi visitado pelo espírito do seu antigo sócio, morto há sete anos na véspera de Natal. Não sendo capaz de descansar em paz por não ter sido uma boa pessoa durante a vida, este vem avisar o seu amigo que ainda vai a tempo de se salvar de passar pelo mesmo no pós-morte. E o resto deixamos para tu leres! O mais impressionante foi que esta história foi escrita em menos de um mês e com o simples objectivo de pagar dívidas de Charles Dickens.

2 – O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos

Não falamos desta obra ontem? Mais ou menos, ontem falamos do ballet do compositor Piotr Tchaikovsky, hoje falamos do livro pelo alemão Ernest Theodor Amadeus Hoffmann, publicado no já longínquo ano de 1816. Com a história a iniciar-se na Noite de Natal, podes acompanhar a aventura de Marie com o seu Quebra-Nozes, que ganha vida e tem uma batalha contra o Rei dos Camundongos.

3 – How the Grinch Stole Christmas!

Em anos mais recentes, isto é, em 1957, foi o conhecido Dr. Seuss que se aventurou nos contos de Natal, escrevendo How the Grinch Stole Christmas!. Tendo direito a uma adaptação cinematográfica, esta história fala sobre Grinch, uma criatura verde que odeia o Natal e, por isso mesmo, decidiu roubar todos os presentes da vila dos Quem. Como acaba esta aventura? Tens de procurar este livro numa livraria perto de ti!

4 – Conto de Natal de Auggie Wren

Menos conhecido que os três contos anteriores, o Conto de Natal de Auggie Wren é um livro que foi escrito por Paul Auster publicado em 1990. Mas o conto é de Auggie Wren ou de Paul Auster afinal? Paul Auster escreveu para o The New York Times a história que lhe foi contada por Auggie Wren, daí os múltiplos nomes naquela primeira frase. E desengana-te se estás à espera de um Pai Natal ou de uma história sentimental! Não há uma árvore de Natal, não existem presentes embrulhados, mas existe uma autêntica história sobre o que é realmente dar algo a alguém. E tudo o que precisas de saber neste momento é que a história envolve uma carteira perdida, uma mulher cega e uma ceia de Natal, a restante história fica para tu próprio desvendares.

5 – A Pequena Vendedora de Fósforos

O próximo conto desta lista foi publicado em 1845, sendo da autoria de Hans Christian Andersen. A Pequena Vendedora de Fósforos conta a história de uma pequena menina sem grandes posses que tentava vender fósforos pela cidade. À noite, com medo de ir para casa por não ter conseguido vender nenhum fósforo e sem ter onde se abrigar, esta tentava aquecer-se com os poucos fósforos que tinha. Com cada fósforo que acendia, esta tinha visões da sua falecida avó e de uma ceia de Natal quente e aconchegada entre as duas. Ao queimar o último fósforo, a criança acaba por falecer devido ao cansaço e frio, com a sua avó a vir buscar o seu espírito para o levar para o céu. E o que achas que aconteceu às pessoas quando viram o corpo da menina na manhã seguinte? Só lendo o livro poderás descobrir!

6 – Noite de Natal

Nós não podíamos deixar a portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen fora desta lista! E a Noite de Natal é um livro sobre o qual já falamos quando fizemos uma homenagem à escritora no aniversário do seu nascimento. Recordando então a história, este livro fala sobre uma menina que, ao ter uma noite de Natal cheia de abundância e alegria, lembra-se de um seu amigo que não iria ter uma noite com tantas condições. Ao decidir partilhar o que recebeu nesse Natal com o seu amigo, esta menina acaba por descobrir o verdadeiro significado desta época festiva.


Gostaste do que leste? Então passa pelas nossas páginas de Facebook e Twitter! Seguir-nos nestas duas redes sociais é a forma mais simples de garantires que o Cultura de Algibeira está sempre no teu bolso e que não perdes pitada dos próximos artigos!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: